COLEÇÃO DE UNIFORMES


Amanda Serafini Barros - Comissária de Bordo

Nome completo: Amanda Serafini Barros

Data de nascimento: 20/10/1989

Tempo em que estudou no Colégio CEIC: da 1ª série ao 3º ano do Ensino Médio (2006)

Você fez faculdade? Letras/ Português – Faculdade SABERES

Profissão: Comissária de bordo            

Como você começou na profissão?

Eu fiz o curso em 2012. Por mim, eu teria feito bem antes porque a vontade eu sempre tive. Mas faltava tempo e dinheiro. Aí, em 2012, eu arranjei tanto o dinheiro como o tempo e deu pra fazer. Mas, eu esperei três anos até ser chamada pra seleção. Nesse meio tempo eu fiz mais cursos pra me especializar na área da aviação.

Como é o processo para se tornar uma comissária de bordo?

Já é complicado na hora de fazer o curso, pois é não só isso. Temos que fazer o curso, que já não é muito barato; fazer uma série de exames médicos que, em conjunto, é chamado de CMA (Certificado Médico Aeronáutico) - que não tem aqui no estado. Então, temos que viajar para outro estado para fazer. Se não passar no CMA, não há como terminar o curso de comissário porque, entre outras matérias, a gente faz disciplinas de sobrevivência na selva e no mar e para fazer essas disciplinas tem que ter o CMA válido. Quando se conclui o curso, presta-se prova para a ANAC que também não é muito fácil e não tem no estado também.

Depois disso tudo, é torcer para ser chamado em alguma seleção e, sem inglês, nem adianta tentar que eles não chamam. Além do inglês, qualquer curso (faculdade ou especialização) faz a diferença nesse momento.

A seleção também é bem desgastante, pois são vários dias de processo seletivo e geralmente todos são em SP e as fases têm datas distantes umas das outras. Então, ou você fica lá direto, se puder, ou vai voltando toda vez que tiver uma nova fase e for chamado. É bem complicado.

No curso, as turmas começam com, normalmente, uns 30 alunos e, depois de um tempo, menos da metade continua tentando. Tem que ter persistência.

Você trabalha em qual empresa?

Gol linhas aéreas

Sempre foi seu sonho ser comissária?

Olha, como eu sempre ia ao aeroclube, desde pequena, eu olhava aqueles aviões e pensava que eu queria alguma coisa com aquilo, mas não sabia o que era. Um dia, lá no aeroclube, não estava fazendo nada, apenas curtindo uma piscina e tal... De repente, vi umas meninas saindo todas juntas e perguntei o que era aquilo. Quando me falaram o que era, na hora deu um clique na minha cabeça e eu descobri que era aquilo que eu queria!

Depois de tudo isso, você começou a trabalhar... Como foi pra você? Por que você não fica mais direto em casa, certo? A rotina mudou.

Para mim foi a oitava maravilha do mundo! Saí de um emprego em que eu já estava frustrada, estressada e sem vontade nenhuma de exercer.

No começo, eu ficava indo e voltando em toda folga que eu tinha. Daí ficava pra lá e pra cá. Mas agora eu já me mudei de vez pra minha base. Está melhor do que nunca!

Sua base fica onde?

Brasília

Você demora a ver sua família?

Eu tenho vindo, mais ou menos, de 3 em 3 meses, pois venho junto com meu namorado e ele não pode sempre e todo mês a gente faz uma coisa diferente.  Então, eu venho quando ele vem.  Mas, se eu quisesse, dava pra eu vir bem mais vezes.  Mas, como levei minha vida toda embora pra Brasília, eu procuro ficar lá mesmo.


Que lugares já conheceu por conta da sua profissão?

Olha, é mais fácil te dizer o que eu não conheci ainda! Não fui a Maceió, Natal e Chapecó. Fora isso, já fui a todos os lugares possíveis... E internacional, até agora só me dão Buenos Aires!

Você poderia deixar uma mensagem para os alunos?

Antes disso, quero fazer um adendo! O comissário de voo é um agente de segurança. Muita gente acha que estamos ali só pra servir o passageiro, dizer bom dia e acomodar malas. Quando, na verdade, a profissão foi criada pra ter profissionais a bordo para operarem em caso de emergências.  Por isso, fazemos o curso de sobrevivência na selva, no mar e combate ao fogo e os pilotos não!  Como os voos são longos, resolveram juntar o útil ao agradável.  Colocaram-nos para "fazer alguma coisa" durante o voo: gerar mais conforto para o passageiro. Por isso a gente faz serviço de bordo e auxilia passageiro.  Mas a nossa prioridade é a segurança do voo.

Bom, quanto à mensagem: estudem e foquem suas energias no que vocês realmente gostam. Não vale a pena gastar a vida pensando em dinheiro e esquecer-se da felicidade profissional e do bem estar próprio.  Procurem algo que lhes proporcione tudo de bom: alegria, prazer em trabalhar, satisfação própria. "Escolha um trabalho que você ame e não terá que trabalhar um único dia em sua vida".

Agradecemos sua participação Amanda e desejamos cada vez mais sucesso em sua profissão! É gratificante ver como nós, do Colégio CEIC, fizemos parte da sua formação e perceber que você está realizada profissionalmente e pessoalmente. Obrigada!

Voltaremos na próxima edição do “Nosso aluno, nosso orgulho” com mais histórias dos nossos queridos alunos. Aguardem!

COMPARTILHE COM UM AMIGO
Se você gostou do conteúdo desta página e deseja compartilhá-la com outras pessoas,
preencha os campos abaixo.
Seu nome:
Seu e-mail:
Nome do amigo:
E-mail do amigo:
Unidade Itapoã
R. Jaime Duarte do Nascimento, 617, Itapoã - Vila Velha-ES, CEP: 29101-620
Telefone: (27) 3320-5900